ÁUDIO: Motoristas e cobradores aprovam 7,59% de aumento e cidade de São Paulo terá mais 300 ônibus em circulação em agosto

29/07/2021

Fonte: Diário do Transporte

De acordo com presidente do Sindmotoristas, Valdevan Noventa, não há motivo para greve neste momento; Sindicalista atribui à oposição atos de vandalismo contra ônibus em São Paulo

ADAMO BAZANI

Ouça o áudio aqui.

Motoristas e cobradores de ônibus da capital paulista aprovaram nesta quarta-feira, 28 de julho de 2021, as propostas do acordo trabalhista mediado pelo TRT (Tribunal Regional do Trabalho) que, entre os pontos, prevê um reajuste salarial de 7,59% em duas etapas como reposição, aumento em parcela única de 7,59% no vale-refeição e manutenção dos empregos até 31 de dezembro de 2021.

A informação é do presidente do Sindmotoristas, sindicato que representa os trabalhadores, José Valdevan de Jesus Santos (Valdevan Noventa), em entrevista ao Diário do Transporte no início da tarde desta quarta-feira (27).

Segundo o sindicalista, paralelamente às negociações com as empresas de ônibus, houve entendimentos com o poder público, dentre os quais, a inclusão, a partir de agosto, de cerca de 300 ônibus a mais na frota em operação na cidade, que atualmente opera com média de 88,28% (mais de 11 mil veículos) do total de coletivos cadastrados no sistema que é em torno de 13 mil coletivos.

A redução da frota ocorreu em razão da queda de demanda de passageiros por causa de pandemia de covid-19, segundo a prefeitura, que hoje está aproximadamente em 60% do habitual.

Noventa disse que serão chamados de volta motoristas e cobradores que estavam afastados, entre os quais, aqueles que estavam cobertos pela MP (Medida Provisória) 936, do Governo Federal, que permite redução de salários e de jornada ou afastamento com pagamento proporcional entre empresas e recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

“São mais de 300 ônibus, nós temos até terça-feira uma discussão para a realocação dos ônibus, quais as garagens, as linhas e regiões que mais precisam” – disse.

Com o acordo, Valdevan Noventa disse que não há razão para greve de ônibus e paralisações, mas que o sindicato vai acompanhar o cumprimento das cláusulas do acordo.

– Reajuste do Vale-Refeição em 7,59%. Novo valor será de R$ 28,19;

– Reajuste de 4% sobre o último salário, com pagamento do novo valor já na folha de agosto e a diferença (maio e junho) a ser paga em setembro;

– Reajuste de mais 3,59%, a partir de janeiro de 2022, não retroativo (totalizando um reajuste de 7,59% sobre o salário atual);

– Manutenção dos postos de trabalho até 31/12/21;

– Manutenção de todas as demais cláusulas da Convenção Coletiva de 2020/2021, até 30/04/2022.

Noventa ainda responsabilizou opositores do sindicado pelos ataques e ações de vandalismo contra ônibus que ocorreram recentemente na cidade, quando os coletivos tiveram correrias de motor cortadas, chaves roubadas pneus esvaziados, vidros quebrados e até tentativa de incêndio.

“É uma oposição formada por ex-dirigentes sindicais, outros foram da categoria, que não representa nada. A justiça e a polícia, as autoridades têm de ficar atentos, para botar na cadeia esses caras que estão fazendo vandalismo na cidade de São Paulo” – afirmou na entrevista.

ATAQUES:

– 02 de julho de 2021:

Nove ônibus danificados

RADIAL LESTE:

– Rua Doutor Luiz Ayres (próximo ao acesso Av. Águia de Haia), ambos os sentidos

8h20. Ônibus de prefixo 31.156 (linha 2582/10), teve pneus furados, correia partida, retirada a chave e atravessado na via sentido por grupo de manifestantes. E também no mesmo local, no sentido, o ônibus de prefixo 48.481 (linha 3539/10) teve pneus furados, retirada a chave e atravessado na pista.

SÃO MIGUEL PAULISTA:

– Av. São Miguel, 9.600, São Miguel:
7h15 – Grupo de manifestantes abordou o operador, esvaziou dois pneus do coletivo de prefixo 31.289 (linha 3301/10) e estacionou de forma atravessada, tendo sua chave suprimida. Viário foi obstruído. Desvios em São Miguel foram desativados às 9h05.

ITAQUERA:

– Rua Geraldo Vieira de Castro – Itaquera – B/C:
6h20 – Ônibus de prefixo 31.104 (linha 3686/10) depredado no vidro traseiro por indivíduo. Coletivo levado para a garagem.

SAPOPEMBA:

– Av. Sapopemba, 11.000, B/C, Sapopemba:
5h40. O coletivo de prefixo 52.129 (linha 5142/10) após ter sido depredado, teve sua correia do motor cortada e seus pneus rasgados por um grupo de manifestantes, e estacionado de forma atravessada, obstruindo o viário no sentido centro.

SÃO MATEUS:

– Av. Mateo Bei, 2.500, B/C, São Mateus:
Os coletivos de prefixo 41.477, 41.594 e 41.479 foram depredados por indivíduos. Os veículos foram recolhidos à garagem.

PONTE DO SOCORRO:

– Ponte do Socorro, sentido B/C:

5h15. Grupo de manifestantes abordou o ônibus de prefixo 73.880 (linha 675K-10) e cortou a correia do motor, deixando o coletivo atravessado na via, obstruindo totalmente o viário. Houve a tentativa também pelos indivíduos de atear fogo no coletivo, entretanto os operadores, debelaram as chamas com os extintores de incêndio dos veículos. A operação de 62 linhas ficou prejudicada até as 6h

– 06 de julho de 2021:

LARGO DO PAISSANDU:

Dois ônibus atacados.

O veículo 81.907 da linha 8700/10 Term Campo Limpo – Pça Ramos de Azevedo, teve sua chave quebrada na ignição e a correia do motor foi cortada, no Largo do Paissandu com a Avenida São João.

Já o coletivo 11.058, da linha 9501/10 Term Cachoeirinha – Lgo do Paissandu, teve seus vidros quebrados.

– 1º de julho de 2021:

ZONA LESTE

Os ônibus foram atacados na Estrada do Iguatemi, na Radial Leste e na Avenida Ragueb Chohfi.

– 28 de junho de 2021:

TERMINAL PINHEIROS (zona Oeste)

TERMINAL SÃO MATEUS (zona Leste)

Ao menos três coletivos tiveram os pneus esvaziados, obstruindo totalmente a entrada do Terminal.

VIAS DA ZONA LESTE:

Dois coletivos, sendo um na Av. Ragueb Chohfi x Av. Aricanduva e o outro na mesma avenida com a Av. Jacu Pêssego.

– 14 de junho de 2021:

VIADUTO DIÁRIO POPULAR (PARQUE D. PEDRO II)

A SPTrans informou que a partir das 7h30 de 14 de junho de 2021, indivíduos não identificados estão parando os ônibus no Viaduto Diário Popular, murcham os pneus e cortam a correia do motor, visando prejudicar a operação das linhas na região.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes