Nunes afirma que Bolsonaro considera ser 'muito difícil' ajudar cidade de SP com subsídio para transporte público

24/11/2021

Fonte: G1

Ônibus que funciona a base de energia elétrica, em São Paulo — Foto: OTHON DIEGO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Prefeito da capital paulista se reuniu com presidente da República em Brasília na segunda-feira (22), e nesta quarta voltara à cidade para debater tema com presidentes da Câmara e do Senado, além de membros do Ministério da Economia.

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), afirmou nesta terça-feira (23) que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vê como "muito difícil" a possibilidade de ajudar os municípios a custear o subsídio do transporte metropolitano, o que poderia evitar o aumento da tarifa de ônibus para os usuários em 2022.

A reunião entre os representantes dos governos municipal e federal ocorreu em Brasília, nesta segunda-feira (22). Segundo Nunes, Bolsonaro o teria convidado de última hora para discutir outra pauta, o acordo envolvendo o Aeroporto do Campo de Marte, na Zona Norte da capital, mas aproveitaram a ocasião e também trataram da demanda dos prefeitos da região metropolitana.

"Ele me disse que seria muito difícil poder ajudar os municípios nesse momento com a questão do subsídio do transporte, mas ficou de internalizar", disse o prefeito, que voltará para Brasília nesta quarta-feira (24) para uma nova reunião sobre o assunto com Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, Arthur Lira, presidente da Câmara, e representantes do Ministério da Economia.

De acordo com Nunes, teria sido argumentado que o aumento acumulado de 65% do diesel, ao longo deste ano, teve um grande impacto no custo de circulação dos ônibus e que, para esse valor extra não ser repassado ao consumidor, seria necessário a gestão municipal injetar mais dinheiro, ou seja, aumentar o subsídio dado ao transporte, o que Nunes já afirmou em ocasiões anteriores não ser uma opção viável, já que atualmente esta quantia passa dos R$ 3 bilhões.

Bolsonaro teria rebatido, dizendo que o aumento do diesel é uma questão mundial, e Nunes insistido no pleito dos gestores municipais de que o governo federal ajude com os custos, uma vez que o valor da tarifa está congelado há dois anos em R$ 4,40 e somente o diesel representaria 20% do custeio do transporte.

Em 5 de novembro, após declarar que um aumento na tarifa de ônibus seria "inevitável" a partir do próximo ano, Nunes recuou e disse que não havia nada estabelecido, que ainda teria de se reunir com os outros prefeitos da região metropolitana para discutir a questão e que seguia aguardando subsídio do governo federal para conter a elevação da passagem.

R$ 3,3 bilhões para empresas de ônibus

Apesar da queda do número de passageiros no sistema de transporte coletivo por causa da pandemia, Nunes afirmou que o subsídio pago pela prefeitura às empresas de ônibus da cidade deve ser de até R$ 3,3 bilhões.

Reportagem publicada pelo g1 em agosto mostrou que, no primeiro semestre deste ano, a cidade já tinha pago R$ 461 milhões a mais com subsídios, chegando a R$ 1,8 bilhão.

No mesmo período de 2020, a gestão municipal tinha destinado R$ 1,4 bilhão para o sistema municipal de ônibus.

Estudos da SPTrans que o g1 teve acesso mostram também que o valor do subsídio em 2021 poderia bater o recorde de 4,2 bilhões por causa da queda da demanda.

Mesmo assim, o prefeito de São Paulo afirmou que a SPtrans está fazendo “uma série de adequações no sistema” para “tentar segurar o subsídio”.

“Ano passado, o subsídio foi de R$ 3,3 bilhões e neste ano não passará de R$ 3,3 bilhões. Não vai passar porque nós fomos fazendo adequações. Fomos fazendo uma séria de ajustes com o sistema. Por exemplo, nós lançamos agora o edital para fazer a concessão dos terminais. A gente vai ter uma economia de aproximadamente R$ 200 milhões”, declarou Nunes.

“Nós vamos fazer agora uma readequação no sistema de bilhetagem. Hoje a gente perde cerca de R$ 200 milhões por ano por causa de fraude na bilhetagem. Tem algumas questões que a gente tá tentando corrigir para tentar segurar o subsídio”, completou.