Homem que matou motorista é condenado

Data: 14/06/2017

Homem que ateou fogo em ônibus e matou motorista em São Paulo é condenado a 25 anos de prisão
Crime aconteceu após morte de suspeito numa tentativa de assalto a um policial

Fonte: Diário do Transporte
Ônibus onde estava John Carlos Soares Brandão destruído na Estrada Turística do Jaraguá Foto: Mario Ângelo/18.10.2014/Sigmapress/Estadão Conteúdo


O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou no último dia 8 de junho, a 25 anos de prisão, Lucas Mateus da Silva pela morte do motorista de ônibus John Carlos Soares Brandão, que ocorreu em outubro de 2014.

O motorista trabalhava na linha 8047/41 (Jaguaré/Metrô Vila Madalena), da Viação Santa Brígida, quando o veículo foi cercado por aproximadamente 20 criminosos por volta das 18h, no Parque São Domingos, zona noroeste.

A justiça concordou com denúncia apresentada pelo Ministério Público de São Paulo.

De acordo com o MPE/SP, o crime ocorreu em represália à morte de um homem que tentou assaltar um policial militar. O PM revidou e matou o suspeito.

Junto com diversas pessoas, inclusive menores à época do crime, Lucas Mateus da Silva cercou e invadiu o ônibus jogando combustível no interior do veículo.

Ainda de acordo com as apurações do crime, o motorista discutiu e entrou em luta corporal com Lucas. Os outros criminosos apartaram e jogaram combustível também no profissional ateando fogo em seguida.

John Carlos teve cerca de 70% do corpo queimado. O motorista chegou a ficar internado na Unidade de Terapia Intensiva de Queimados do Hospital Geral de São Mateus, na zona Leste, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com nota do Ministério Público, o criminoso foi condenado com base em vários artigos do Código Penal.

Lucas foi condenado com base nos artigos 121 inciso 2º, parágrafos I, III e IV (homicídio qualificado, motivo torpe, com fogo e à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido); 250 (causar incêndio, expondo a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem); 288 (causar  incêndio, expondo a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem), todos do Código Penal, e o artigo 244-B do Estatuto da Criança e do Adolescente (corromper ou facilitar a corrupção de menor de 18 (dezoito) anos, com ele praticando infração penal ou induzindo-o a praticá-la).

Outros seis acusados pela morte do motorista e ataque ao ônibus serão julgados no próximo dia 20 de junho.

O júri, que foi presidido pela juíza Giovanna Christina Colares, aconteceu no Fórum da Barra Funda. Atuou pelo Ministério Público o promotor de Justiça Rogério Leão Zagallo.



V o l t a r